Pensar que em algum momento precisará de certos objetos pode levar pessoas ao Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), condição em que o indivíduo acumula objetos e materiais que tomarão espaço e aos poucos deixarão a casa desorganizada e com a aparência de suja.

Especialistas argumentam que uma série de fatores podem desencadear a acumulação compulsiva como carências emocionais, que poderá levar, ainda, ao isolamento social.

O apego exagerado a objetos pode ter raízes psicológicas, como a perda de pessoas queridas e medo do futuro. Ou simplesmente o medo de descartar objetos, acreditando que poderão estar tomando a decisão errada.

Esse vazio interior é preenchido pelo acúmulo de peças inutilizadas. A doença mental, que nasce de um transtorno de ansiedade possui três características principais:

1. A reunião de bens ou objetos que parecem inúteis para a maioria das pessoas;

2. A incapacidade de se livrar de qualquer um dos objetos ou bens recolhidos;

3. Um estado de aflição ou de perigo permanente.

Não deixe de conferir também:
Como proteger móveis e objetos durante a reforma da casa?
Box de armazenamento: o que observar antes de contratar

Não confunda a doenças

No entanto, a doença não pode ser confundida com coleções de objetos específicos, já que um acumulador reúne diferentes tipos de objetos e materiais aleatórios e desorganizados.

A acumulação compulsiva também é conhecida como Síndrome de Miséria Senil ou Síndrome de Diógenes, por causa das condições em que vivia o filósofo grego Diógenes de sinope.

Ele vivia como um mendigo, dormia num barril e recolhia da rua inúmeros objetos sem valor. Trata-se de uma perturbação que diminui a mobilidade e prejudica a realização das tarefas simples do dia a dia, como a alimentação, a forma de se vestir e até mesmo a higiene pessoal.

Quem desenvolve a Disposofobia

A doença que se manifesta principalmente em idosos, também pode ser comum em alguns jovens, que sofrem de ansiedade ou depressão.

Geralmente são pessoas solitárias ou que têm problemas de interação social, tanto pela compulsão em si (que causa bagunça e vergonha de receber pessoas), quanto por dificuldades de relacionamento que o distúrbio traz.

Fase inicial de um acumulador

  • Pega coisas do lixo que poderá ser útil um dia;
  • Guarda caixas vazias, embalagens descartáveis ou de presentes e dizer que podem ser úteis um dia;
  • A coleção de objetos obstrui espaços em casa.

Fase avançada

  • A pessoa reconhece o transtorno que possui;
  • O acesso à residência ou a compartimentos da casa fica obstruído devido ao acúmulo de objetos;
  • Há dificuldade para limpar a casa;
  • Possui muitos animais, tais como gatos, cães e passarinhos e não cuida corretamente deles.

Como evitar

Muitas pessoas se perguntam se é possível evitar chegar a esse nível. O importante é se policiar e perceber os próprios atos. Se eles começam a ficar exagerados, pode ser um sinal de que a tendência é piorar. Veja como evitar ser um acumulador:

  • Não guarde objetos só porque são bonitos
    Caixas, pacotes ou embalagens de algum produto comprado ou recebido às vezes são muito bonitos, concorda? Podem até servir para enfeitar a estante da sala. Porém, é importante analisar a real necessidade do objeto.
  • Separe o que realmente pode ser armazenado
    Caso tenha objetos que realmente poderá precisar no futuro, verifique a possibilidade de guardá-los em outros locais, como em self storages, por exemplo.
  • Faça um pente fino
    Arrume o seu guarda-roupa e doe tudo o que você não utiliza nos últimos seis meses: roupas, sapatos, casacos e demais vestimentas. Alguém pode estar precisando em algum lugar na sua cidade.
  • Jogue fora o que estiver quebrado
    Coloque em um saco plástico tudo o que estiver quebrado, estragado ou que você não consertou nos últimos meses. Se ninguém mais usa, jogue fora. Brinquedos das crianças, jogos, monitores e aparelhos eletrônicos.
  • Faxina geral nas gavetas
    Faça uma limpeza nas gavetas e armários. Livre-se de tudo o que não contenha informações sigilosas ou importantes para você. Deixe em casa somente o que você tem certeza que vai precisar usar depois.
  • Organize a casa
    Encontre um local adequado para cada objeto ou móvel da sua casa. Mantendo as coisas nos seus devidos lugares, é essencial para evitar que você se torne um acumulador compulsivo.
  • Procure ajuda de alguém
    Caso tenha dificuldade de se livrar de determinadas coisas, peça ajuda de um amigo, familiar ou de quem já foi como você. Se perceber que o problema é maior, procure um psicólogo, terapeuta. Talvez seja sinal de depressão, ansiedade ou TOC.

Aprendeu mais sobre os acumuladores?

Pois é, infelizmente esse comportamento tem provocado sofrimento em muitas pessoas. Por isso, o melhor caminho é mesmo a prevenção. Esteja atento aos seus comportamentos e, acima de tudo, aceite que há algo errado nos acúmulos excessivos.

Está precisando de espaços, procure um destino adequado. Nós, da Para Guardar, temos mais conteúdos que podem ajudar você. Confira também: Casas pequenas: descubra 7 maneiras de organizar seus objetos.

Deixe um Comentário

© 2019. Para Guardar Self Storage. Todos os direitos reservados.